A engenharia de materiais e a valorização de resíduos

No processamento de matérias-primas são gerados inúmeros resíduos, assim como no descarte do produto final, que em sua maioria é apenas descartado e não é visto como uma fonte de matéria-prima, como deveria ser. Você já parou para pensar quantas toneladas de matéria-prima não renováveis são extraídas todos os anos? E quantas toneladas de materiais descartados todos os anos? Assim perdemos uma grande fonte de materiais!

Resíduos-sólidos-Foco-da-Conferência-Nacional-de-Meio-Ambiente

A valorização de resíduos é o ato de tornar um resíduo uma matéria-prima, aproveitando os materiais que os constituem. Isso é feito através das operações de tratamentos que podem ser processos físicos-mecânicos, químicos, térmicos e biológicos.

Critérios de valorização

Para valorizar um resíduo, uma série de critérios devem ser considerados, entre eles a classificação, potencialidade, quantidade, viabilidade e aplicabilidade (critérios CPQvA).

A classificação do resíduo é relacionada com a periculosidade do mesmo. Um resíduo, segundo a norma 10004 pode ser classificado como perigoso, e não perigoso. Dentro dos não perigosos ele pode ser inerte ou não inerte. Para a valorização geralmente busca-se um resíduo não perigoso e inerte.

Já a potencialidade relaciona-se com as características do material, qual o potencial dos componentes daquele resíduo, se eles possuem ou não um valor agregado.

A quantidade disponível para a valorização do resíduo também é um critério muito importante, já que é necessário ter grande quantidade, homogeneidade e disponibilidade contínua do resíduo para ter viabilidade econômica.

A partir do estudo das propriedades do material é possível definir aplicação para o resíduo, pois ter uma aplicação é um ponto fundamental para dar valor a um material, de nada adianta um material sem aplicação, certo?

A viabilidade é relacionada com diversos fatores, como condições de mercado, custos, logística, prejuízos ambientais da valorização e da não valorização, questões legislativas (como leis).

Em resumo, é dado valor a um resíduo quando ele tem o potencial de melhorar a funcionalidade de um produto, quando ele pode ser reintegrado no ciclo produtivo e também quando há uma concepção inovadora.

Papel do engenheiro de materiais na valorização de resíduos

O engenheiro de materiais tem um papel fundamental na valorização de resíduos, pois é ele quem vai trabalhar com a investigação das propriedades do material a ser valorizado, como estrutura, composição e também com o processamento dele.

O engenheiro também pode trabalhar com a redução da produção de resíduos no meio fabril, com a reutilização do material e também com a reciclagem. Esses pontos são muito importantes e devem ser estudados antes mesmo de trabalhar com a valorização de resíduos, já que não seria certo produzir mais resíduo do que o necessário só para ter material para valorizar.

Você conhece algum caso ou trabalho de valorização de resíduos? Compartilhe com a gente nos comentários!

Referência:

PEREIRA, Fabiano Raupp. Valorização de resíduos industriais como fonte alternativa mineral: composições cerâmicas e cimentíceas. 2006.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *