Os polímeros e a poluição

É certo que os polímeros vieram para ajudar muito, como já falamos no post A vantagem dos polímeros. Porém a utilização em excesso desse material pode trazer grandes consequências ambientais para todos nós.

plastic

Por que o plástico é o grande vilão da história?

Mesmo que o tempo de decomposição do polímero seja muito menor do que o dos vidros e dos metais, esse material não consegue ser tão facilmente reciclado. Isso ocorre por vários fatores, entre eles a existência de inúmeros tipos diferentes de plásticos utilizados em produtos, como embalagens. Para ocorrer a reciclagem deve primeiramente ser feita a separação dos tipos de materiais, porém como você pode reparar em alguns produtos que você tem em casa, muitos estão identificados como “Outros”, tornando ainda mais difícil a identificação e separação.  Ademais, as propriedades dos polímeros fabricados a partir da reciclagem são inferiores do que aqueles produzidos com uma matéria-prima que não foi utilizada anteriormente.

Além disso os produtos feitos com plásticos na maioria das vezes são descartáveis, o que faz com que a quantidade de material desperdiçado todos os anos seja suficiente para dar a volta na terra 4 vezes. Para você ter uma ideia, 2500000 garrafas de água são utilizadas por americanos todas as horas. Assustador, não?

Onde todo esse plástico vai parar?

Nós só conseguimos recuperar uma baixa porcentagem dos plásticos produzidos, acredita-se que 5%. Todo o resto acaba sendo destinado para lixões, aterros sanitários e também para o meio ambiente. A situação dos nossos oceanos, pro exemplo, é muito preocupante, pois se nada mudar em 2050 teremos mais plástico no mar do que peixes. Dessa forma esses materiais acabam matando milhões de animais todos os anos.

O que é feito para mudar esse cenário?

Algumas cidades hoje estão proibindo alguns produtos específicos que contém plásticos não biodegradáveis de serem comercializados. San Francisco foi a primeira cidade da América a banir garrafas plásticas, já Hamburg proibiu a compra de cápsulas de café, água engarrafada e produtos de cutelaria de plástico com o dinheiro da câmera municipal.

Existem pessoas também que buscam fazer a diferença e prometem viver produzindo a menor quantia de resíduos possível, como a Lauren Singer do blog Trash is for Tossers e a Cristal do Um Ano Sem Lixo.

Como a engenharia de materiais pode ajudar

A grande tendência é produzir materiais biodegradáveis, sejam eles feitos com cogumelos, fécula de mandioca, polietileno verde e bioplásticos em geral. As sacolas plásticas feitas com fécula de batata demoram 180 dias para se decompor totalmente, já as convencionais podem se degradar apenas depois de 100 anos. Outra forma é otimizar a reciclagem dos polímeros e conseguir reaproveitar o material e também encontrar materiais que possam substituir os plásticos nos produtos.

Você sabe de algum projeto de materiais relacionado com esse assunto? Compartilhe com a gente :)

Fontes:

San Francisco Becomes The First City to Ban Sale of Plastic Bottles

Oceanos em 2050 vão ter mais plástico do que peixes

22 Facts About Plastic Pollution (And 10 Things We Can Do About It)

Truth about plastic

Hamburg bans coffee pods and disposable packaging

Sacos biodegradáveis de fécula de batata

24/01/2012 16h39 – Atualizado em 24/01/2012 16h52 Nova sacolinha biodegradável reduz impacto do plástico, diz Greenpeace

One thought on “Os polímeros e a poluição”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *