Qual é o segredo do Gorilla Glass?

Creio que a maioria dos celulares fabricados hoje utilizam como tela o Gorilla Glass, que é fabricado pela tradicional indústria americana Corning.  E o diferencial desse produto é a sua resistência ao impacto e ao risco.

Gorilla-Glass-4

Primeiro devemos entender como funciona o processo de fabricação usual: A resistência do material pode ser melhorada através da indução de tensões residuais compressivas na sua superfície, conseguimos isso através da têmpera. Conforme essa técnica o vidro é aquecido até uma temperatura maior do que a tg (temperatura de transição vítrea) e abaixo do ponto de amolecimento, assim ela é resfriada até a temperatura ambiente com um jato de ar ou até mesmo em óleo. As tensões que queremos aparecem devido à diferença na taxa de resfriamento entre a superfície e o interior do material, já que a superfície resfria rapidamente e se torna rígida. Mas o interior, que possui uma taxa menor, tenta se contrair mais do que a rigidez da superfície permite, assim surgem essas tensões compressivas!

Esses seriam os famosos vidros temperados, contudo o processo do Gorilla Glass é um pouco diferente:

Ao invés de resfriarmos o material com um jato de ar ou óleo, resfriamos numa solução de sais de potássio a 400 °C, fazendo com que os pequenos íons de sódio saiam do vidro e sejam substituídos pelos grandes íons de potássio, causando tensões residuais muito maiores do que nos temperados, por causa do pequeno espaço existente para o maior íon. E são essas tensões que proporcionam ao material uma alta resistência à compressão e à fratura.

No seguinte vídeo podemos ver a comparação do Gorilla com um vidro sódico-cálcico, que é utilizado em garrafas, por exemplo.

Um dos principais concorrentes da Corning é a tela de safira, que possui vantagens como uma dureza maior e uma maior resistência ao risco, porém a sua densidade é maior, o que faz com que o produto final tenha um peso maior, além de que é muito mais caro para se produzir.  A safira é constituída de óxido de alumínio e por não ser encontrada na natureza, o seu processo é artificial. E na sua produção são aplicados calor (temperatura de 2.200 ºC) e pressão, assim em um período de 17 dias ela se resfria lentamente e recebe tratamentos térmicos. Por mais que a tela de safira não obteve muito sucesso no ramo de smartphones, ela é largamente utilizada em janelas de avião, ferramentas de corte e equipamentos elétricos e óticos.

O lançamento da Corning é o Gorilla Glass 4 que em 80% dos testes de queda não apresentou danos na tela.

Leia mais em:

CALLISTER, William D. Ciência e engenharia de materiais: uma introdução. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, c2008.

Corning

Gorilla vs. Safira

Compartilhar Matéria:

Já ouviu falar sobre Liquid Metals?

O fato de alguns metais serem líquidos em temperatura ambiente, como o mercúrio e o gálio, não é nenhuma novidade, mas você já ouviu falar sobre ligas com aço, alumínio e titânio, que são chamados de Liquid Metals? É exatamente sobre isso que falarei hoje! applying-low-voltage-to-liquid-metal-alloys-changes-the-surface-tension_1646_668919_0_14108217_500 A primeira vez que ele foi comercializado foi no ano de 2003, ou seja, é um material relativamente novo nesse mundo. Ele geralmente é utilizado em componentes eletrônicos e em 2010 a Apple comprou os direitos de uso e de comercialização desse tipo de metal.

Por que teve tanto interesse por parte da Apple? Esse material possui propriedades muito superiores aos materiais antigamente utilizados, algumas delas são: 2,5x mais resistente do que o titânio; dureza 1,5x maior do que um aço inoxidável; 2-3 vezes mais resistente à deformações plásticas do que um aço comum; não corrosivo; alta condutividade térmica e elétrica, entre outras.

Mas o que é realmente o metal líquido? Primeiramente ele não é líquido em temperatura ambiente, mas ele é chamado dessa forma pela forma que suas moléculas se comportam. Como pode ser visto no vídeo de 3 minutos parte de um documentário da History Channel sobre esse metal: https://www.youtube.com/watch?v=-uOPXquIMt4&feature=player_embedded

Ele é parte de uma classe de metais conhecido como metais vítreos, porque algumas das suas propriedades estão fortemente relacionadas com os vidros, como o seu ponto de fusão, que não é fixo como os outros metais e sim ocorre uma perda gradual da sua integridade com o aumento da temperatura.

E como é produzido? Eles são resfriados rapidamente para induzir uma microestrutura amorfa, o que muda suas estruturas atômicas e geram átomos desorganizados, possuindo uma resposta elástica à tensões de deformação. Os metais comuns são geralmente cristalinos e tendem a deformar plasticamente quando tencionados e flexionados.

Abaixo podemos ver um vídeo de comparação da elasticidade do Liquid Metal com metais usuais:

Bom final de semana e lembrando que na próxima teremos mais dois posts novos!

Leia mais em:

Apple e o LiquidMetal

What is Liquid Metal?

Applying low voltage to liquid metals

Compartilhar Matéria: