Qual é o segredo do Gorilla Glass?

Creio que a maioria dos celulares fabricados hoje utilizam como tela o Gorilla Glass, que é fabricado pela tradicional indústria americana Corning.  E o diferencial desse produto é a sua resistência ao impacto e ao risco.

Gorilla-Glass-4

Primeiro devemos entender como funciona o processo de fabricação usual: A resistência do material pode ser melhorada através da indução de tensões residuais compressivas na sua superfície, conseguimos isso através da têmpera. Conforme essa técnica o vidro é aquecido até uma temperatura maior do que a tg (temperatura de transição vítrea) e abaixo do ponto de amolecimento, assim ela é resfriada até a temperatura ambiente com um jato de ar ou até mesmo em óleo. As tensões que queremos aparecem devido à diferença na taxa de resfriamento entre a superfície e o interior do material, já que a superfície resfria rapidamente e se torna rígida. Mas o interior, que possui uma taxa menor, tenta se contrair mais do que a rigidez da superfície permite, assim surgem essas tensões compressivas!

Esses seriam os famosos vidros temperados, contudo o processo do Gorilla Glass é um pouco diferente:

Ao invés de resfriarmos o material com um jato de ar ou óleo, resfriamos numa solução de sais de potássio a 400 °C, fazendo com que os pequenos íons de sódio saiam do vidro e sejam substituídos pelos grandes íons de potássio, causando tensões residuais muito maiores do que nos temperados, por causa do pequeno espaço existente para o maior íon. E são essas tensões que proporcionam ao material uma alta resistência à compressão e à fratura.

No seguinte vídeo podemos ver a comparação do Gorilla com um vidro sódico-cálcico, que é utilizado em garrafas, por exemplo.

Um dos principais concorrentes da Corning é a tela de safira, que possui vantagens como uma dureza maior e uma maior resistência ao risco, porém a sua densidade é maior, o que faz com que o produto final tenha um peso maior, além de que é muito mais caro para se produzir.  A safira é constituída de óxido de alumínio e por não ser encontrada na natureza, o seu processo é artificial. E na sua produção são aplicados calor (temperatura de 2.200 ºC) e pressão, assim em um período de 17 dias ela se resfria lentamente e recebe tratamentos térmicos. Por mais que a tela de safira não obteve muito sucesso no ramo de smartphones, ela é largamente utilizada em janelas de avião, ferramentas de corte e equipamentos elétricos e óticos.

O lançamento da Corning é o Gorilla Glass 4 que em 80% dos testes de queda não apresentou danos na tela.

Leia mais em:

CALLISTER, William D. Ciência e engenharia de materiais: uma introdução. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, c2008.

Corning

Gorilla vs. Safira

Compartilhar Matéria:

4 thoughts on “Qual é o segredo do Gorilla Glass?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *